terça-feira, junho 26, 2007

A lua não pode ser roubada

6 comentários
Ryokan, um mestre Zen, vivia a mais simples e frugais das vidas em uma pequena cabana aos pés de uma montanha. Uma noite um ladrão entrou na cabana apenas para descobrir que nada havia para ser roubado.

Ryokan retornou e o surpreendeu lá.

"Você fez uma longa viagem para me visitar," ele disse ao gatuno, "e você não deveria retornar de mãos vazias. Por favor tome minhas roupas como um presente."

O ladrão ficou perplexo. Rindo de troça, ele tomou as roupas e esgueirou-se para fora.
Ryokan sentou-se nu, olhando a lua.

"Pobre coitado," ele murmurou. "Gostaria de poder dar-lhe esta bela lua."


Bens materiais podem ser retirados de você. Situações podem ser retiradas de você. Você pode perder um ser amado, o emprego, o celular, mas há coisas que ninguém pode tirar de ti.

Por mais que esteja difícil sua vida nesse momento lembre-se que certas coisas você recebe gratuitamente e muitas vezes nem se dá conta de tal graça.

Pense nisso.

verdade

domingo, junho 24, 2007

O Fogo que deixa intacto o que toca

5 comentários
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Jean Hani em um texto no qual trata da simbologia aplicada a Maria, mãe de Deus, faz uma observação interessante quanto à virgindade dela, um dos mistérios da religião cristã:



“Deus se oculta na sarça de chamas que não se queima e conserva sua integridade, e igualmente se encerrou O Verbo divino no seio virginal deixando-lo intacto”.


Da mesma forma que O Verbo, falando a Moisés, não destruiu a sarça ao fazê-la arder em chamas, também não retirou a integridade de Maria ao introduzir-se em seu corpo. Há os que dizem ser isso impossível, mas esquecem que para Ele não há o que é considerado impossível para nós.

Interessante como algumas pessoas crêem nas coisas mais, digamos, excêntricas, como Jesus pilotando naves espaciais, inseminação de Maria por ETs e outras pérolas do gênero e não acreditam simplesmente que Deus quis manter o corpo dela íntegro e assim o fez, porque ele pode. É Todo-Poderoso ou não é?

Bem, de qualquer forma eu confio no que ela afirmou, confio em Jesus e em Sua Santa Mãe.

Que Deus abençoe todos nós!
santa

sexta-feira, junho 22, 2007

Top de linha

4 comentários
Ainda sobre a polêmica entrevista de Bundchen, gostei da resposta da bela Fernanda Tavares. Leiam:



Folha de S. Paulo, segunda-feira, 11 de junho de 2007

Coração de mãe
Mônica Bergamo

Fernanda Tavares não gostou de Gisele Bündchen se declarar a favor do aborto e dizer que "não existe quase nada" até o quarto mês de gestação - justamente o período de gravidez de Fernanda. "Com um mês, a criança já tem coração", diz a top. "É absurdo qualquer mulher, por mais independente que seja, defender o aborto. Estamos falando de outra vida".


É isso aí, Fernanda! 
vida

quarta-feira, junho 20, 2007

O Temor e A Graça

2 comentários
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


“Não é qualquer presunção que é considerada pecado contra o Espírito Santo, mas a que nos leva a desprezar a justiça de Deus por confiarmos indevidamente em Sua misericórdia. E tal presunção, em razão da sua matéria, isto é, por nos levar a desprezar um bem divino (que é a justiça), por isso mesmo se opõe à caridade, ou antes, ao dom do temor, que nos manda reverenciar a Deus”. (São Tomás de Aquino - Suma Teológica II-II, q.130, a.2, ad 1).


Outro dia desses estava eu a pensar na palavra “temor”. Percebi que muita gente pensa que este termo quando aplicado ao que devemos sentir em relação ao Criador, quer dizer medo. Até um tempo atrás eu também assim pensava, não entendia isso. Até que – oh, quanta inteligência – consultei o dicionário e descobri que tal palavra quer dizer também “respeito profundo”, reverência.

Ter temor a Deus é ter respeito profundo, é reverenciá-Lo. E como diz o mestre aquinate, tal sentimento é um dom. Bom, eu ainda não sei como funciona essa estória de dom, mas vejo realmente que há um mistério nisso, pois há pessoas para as quais parece “natural” temer a Deus. E a outras isso simplesmente não acontece. Seguindo o que diz Santo Tomás é porque as que reverenciam a Deus, as que O temem, receberam este dom e as outras não.

Mas como fica a questão do mérito nisso tudo? Bom, pensando cá com meus botões, cheguei à conclusão de que Deus não gosta da soberba e sendo assim só os humildes recebem tais dons. É preciso ser simples, ter um coração aberto para receber certas graças. É claro que não sei se é assim mesmo que funciona, estou apenas a fazer conjecturas a respeito.

Mas também me parece que ter o coração pronto para receber graças é já uma graça. Cheguei então à conclusão que Ele nos agraciou desde o princípio e que nós é que desprezamos Sua bondade. Claro, podemos fazer isso, pois temos o livre arbítrio dado a nós por Ele mesmo. E isso é outra graça, não é?

Percebem como Ele nos dá tantas coisas de graça? Sim, porque não fizemos por merecer tanta bondade. Fazemos bobagens, erramos tanto, mesmo tendo lá no fundo do coração escrito que não devemos fazer aos outros o que não gostaríamos que fizessem a nós mesmos, mesmo tendo recebido revelações divinas das quais nascem as instruções religiosas, morais.

Agora mesmo enquanto escrevo este post, relendo a passagem do livro de Santo Tomás percebo que cometi um erro e que confiei demais na misericórdia Dele (pedi perdão e vou buscar não fazer isso novamente). Mas vejam que percebi o erro justamente quando reli este trecho do aquinate. Explico: eu tinha errado, sabia disso, mas não sabia bem a gravidade do meu erro até que abri esta página com as palavras de Santo Tomás e ao escrever o post fui “iluminada” e notei onde estava a gravidade de minha falta.

Não posso desprezar Sua justiça. Não posso fazer de conta que estou fazendo algo pelo bem dos outros quando estou apenas agindo em consonância com meus caprichos. Isso é falta de caridade mesmo, falta de temor a Deus.

Gente, estou maravilhada em como consegui compreender estas palavras do Santo enquanto escrevo isso aqui! Que coisa! Como Ele é bom!

Leiam e releiam esta passagem da Suma Teológica, contemplem, meditem a respeito. Pode ser que haja uma lição para vocês também.
verdade

terça-feira, junho 19, 2007

Mulheres na arte

5 comentários

Vejam que interessante: um vídeo-montagem com retratos de mulheres ao longo de quinhentos anos. É uma beleza!


beleza



sexta-feira, junho 15, 2007

Gatinho alado

1 comentários

Gente que coisa! Um gatinho com asas! Leiam a notícia aqui.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

quarta-feira, junho 06, 2007

Sofrimento e casamento

3 comentários







Relacionamentos são muito importantes. É bom ler a respeito. Este artigo está bem interessante. Abaixo eu comento.



Sofrimento é chave para casamento feliz, diz pesquisa

Da BBC Brasil 01/06/200708h54

Aceitar que relacionamentos sempre incluem dor e sofrimento é a chave para um casamento feliz, segundo um estudo publicado na Revista de Terapia de Casal e de Família, nos Estados Unidos. Os professores da Universidade do Estado da Califórnia Diane Gehart e Eric McCollum dizem que os contos de fada e histórias de amor atuais criam uma ilusão de que é possível viver um "relacionamento perfeito", o que torna ainda mais difícil lidar com os problemas do dia-a-dia. "Nossa cultura perpetua o mito de que, com esforço suficiente, podemos atingir um estado sem sofrimento", diz a pesquisa.

"Nos Estados Unidos, o valor que é dado à atitude pró-ativa e ao triunfo sobre a adversidade cria um ambiente onde o sofrimento pode ser visto como um sintoma da derrota pessoal." Os autores do estudo criticam psicólogos que usam o termo "saúde mental" como sinônimo de um estado em que as pessoas não sofrem e defendem o uso de uma técnica de meditação budista para lidar com os problemas de família: em vez de eliminar o sofrimento, os budistas buscam entender as mágoas de forma tranqüila e compreensiva.

Segundo os pesquisadores, para alcançar um casamento bem-sucedido, é preciso que as pessoas se afastem da busca pela perfeição, aceitando a existência de "maus momentos", e cheguem a um estado que eles chamam de "aceitação atenta". "A 'aceitação atenta' é a compreensão de que enquanto alguma dor é inevitável, o sofrimento de lutar contra o que não podemos mudar não é", dizem eles. A técnica já foi transformada numa terapia cognitiva, usada para tratar a depressão, e agora deve servir de instrumento para ajudar as pessoas a lidarem com o abuso, o divórcio e a rejeição.

***

No mundo de hoje as pessoas querem ser felizes a qualquer custo. Mas esse desejo só traz mais infelicidade, pois a vida tem altos e baixos. Entender que o sofrimento existe e faz parte da vida, saber lidar com isso torna o ser humano mais maduro e mais apto a receber o que vida tem de melhor. Só pode ser feliz realmente quem conhece o sofrimento. E neste mundo não há como ser totalmente feliz o tempo todo.

Se as pessoas entendessem isso muitos casamentos durariam a vida toda.

vida