segunda-feira, março 29, 2010

Semana Santa e pausa

2 comentários

Prezados, este blog entra em recesso nesta Semana Santa.

Que todos nós tenhamos uma semana muito piedosa!

Uma Santa Semana a todos! ;)

sexta-feira, março 26, 2010

Como rezar eficazmente o Santíssimo Rosário?

2 comentários


Abri, Senhor, os meus lábios: para que louve o vosso santo nome...” Essas são as primeiras palavras da bela oração que se reza antes do Ofício divino e do Ofício de Nossa Senhora. E continua: “... purificai também o meu coração de todos os vãos, perversos ou inúteis pensamentos; iluminai-me o entendimento, inflamai-me a vontade, para que digna, atenta e devotamente recite este Ofício e mereça ser atendido perante a vossa divina majestade”.

Esta oração ensina-nos resumidamente, mas de um modo perfeito, a atitude que devemos ter também ao rezar o Rosário: digna, atenta e devotamente.

O Reverendo Frei Royo Marín, dominicano e renomado teólogo, ex-professor na Universidade de Salamanca, explicou cada um destes três termos.

“a) Dignamente: Esta primeira condição exige, pelo menos, que a recitação do Rosário se faça de modo decoroso, como corresponde à majestade de Deus, a quem principalmente a nossa oração é dirigida.

O melhor procedimento é rezar de joelhos diante do Sacrário - o que nos alcança uma indulgência plenária - ou diante de uma imagem de Nossa Senhora. Mas pode-se rezá-lo também em qualquer outra postura digna (por exemplo, modestamente sentado, passeando pelo campo, etc.).

Seria indecoroso rezá-lo na cama (a não ser em caso de enfermidade), ou interrompê-lo constantemente para responder a perguntas alheias à oração.

b) Atentamente: A atenção é necessária para evitar a irreverência que ocorreria se houvesse uma distracção voluntária. Como querer que Deus nos ouça, se começamos por não nos ouvirmos a nós mesmos?

Contudo, nem toda a distracção é culposa. Não temos um controle despótico sobre a nossa imaginação, mas apenas político – como ensinam os filósofos - e não podemos evitar que ela nos escape sem a nossa permissão. As distracções involuntárias não invalidam o efeito meritório e impetratório da oração, desde que se faça o possível por contê-las e evitá-las.

c) Devotamente: A devoção consiste numa vontade pronta para as coisas referentes ao serviço de Deus..

A própria Rainha do Céu disse ao Bem-aventurado Alano de la Roche: “Sabei que, embora haja muitas indulgências concedidas ao meu Rosário, eu acrescento muitas mais pelas diversas partes dele em favor daqueles que o rezam sem pecado mortal, de joelhos, devotamente; e aos que perseverarem na devoção do santo Rosário, de acordo com essas condições e se meditarem, obterei para eles, como prémio, a plena remissão da pena e da culpa de todos os pecados no fim da vida. E não te pareça isto incrível; isto é-me fácil, pois sou a Mãe do Rei dos Céus, que me chama cheia de graça e, como cheia de graça, farei também ampla efusão dela em favor dos meus filhos queridos.".

Encerremos , pois, com este conselho de São Luís Maria Grignion de Montfort: “Considero como um dos mais assinalados favores de Deus a graça de alguém perseverar até à morte na prática quotidiana do Rosário. Perseverai nela e tereis a admirável recompensa que está preparada no Céu para a vossa fidelidade."


(Padre João Clá Dias, "Fátima - O Meu Imaculado Coração Triunfará!", Páginas 116 e 117)


Fonte: Vida Espiritual Católica

sexta-feira, março 19, 2010

Pensar no sofrimento de Jesus

0 comentários


Pensar no sofrimento de Jesus no Jardim das Oliveiras, no quanto Ele sentiu-se abandonado, sozinho, sem Seus amigos velando por Ele.



Pensar em como Ele devia estar triste vendo a multidão escolher Barrabás, em ver o cinismo no rosto dos fariseus, em ver Pilatos lavar as mãos.



Pensar em como Ele sofreu com as chicotadas em Sua pele, em como doeram aquelas feridas todas se abrindo, em como incomodava os pulsos amarrados, em como foi difícil se sustentar de pé apanhando tanto.



Pensar em como deve ter sido duro ver aqueles a quem criou se desfazendo Dele, xingando-o, cuspindo em Sua santa face, batendo em Seu rosto a ponto de fazer inchar os olhos, cravando na Sua cabeça a coroa de espinhos, zombando de Sua santa figura.



Pensar Nele se arrastando carregando a cruz, olhando para Sua mãezinha em prantos, tentando conseguir forças para chegar até o calvário, com Suas mãos machucadas, com os olhos incomodados de tanto sangue escorrendo da ferida aberta pelos espinhos, caindo e apanhando ainda mais para se levantar, sofrendo com os apupos da multidão.



Pensar Nele sendo pregado na cruz. Tendo Suas mãos e pés atravessados por aqueles pregos horríveis, Seu corpo todo dolorido pelas feridas e pelo esforço de carregar a cruz, pela noite insone que passou apanhando. Pensar em como ficou totalmente desconfortável pendurado no madeiro, tentando conseguir uma posição melhor, sofrendo com a sede, e ainda assim pôde perdoar o ladrão, falar com Seu discípulo e com o Pai.



Pensar no sofrimento de Jesus Cristo, que inocente morreu na cruz.



Faz muito bem pensar nisso, principalmente nesta época de Quaresma.
vida

segunda-feira, março 15, 2010

O reconhecimento da própria ignorância é a primeira prova de inteligência

0 comentários
vida
"O reconhecimento da própria ignorância é a primeira prova de inteligência." (Serm 301,4,3)

"A ignorância mais refinada é a ignorância da própria ignorância" (Conf. 5,7)

Santo Agostinho


É muito bom buscar entender sobre as coisas importantes. E melhor ainda é saber que não somos perfeitos e que temos limites, que precisamos da ajuda dos outros e o mais importante de tudo: que precisamos de Deus!

Devemos reconhecer a nossa própria ignorância. Temos que saber baixar a cabeça e reconhecer que nem tudo está ao nosso alcance e que mesmo que esteja não quer dizer que já alcançamos tudo o que poderíamos alcançar. Temos que conservar – ou adquirir- uma postura humilde. O ignorante que acha que sabe muito é um orgulhoso, não sabe pedir, não quer baixar a cabeça e reconhecer que pode não saber tanto quanto pensa que sabe. O ignorante orgulhoso olha de cima para baixo como se os outros fossem todos seres inferiores e somente ele – e talvez seu grupinho de ignorantes iludidos – tivesse inteligência o bastante para iluminar os pobres mortais.

Por não reconhecerem sua própria ignorância tais orgulhosos mostram que não são inteligentes realmente. Podem possuir um verniz que dê aos outros a idéia de que são inteligentes, cultos, mas ao serem confrontados com pessoas que realmente sabem, eles logo recuam e acusam os que os confrontam de serem “mente fechada”, ignorantes, “atrasados”. Na realidade tais pessoas estão também cegas. Não conseguem enxergar sua própria miséria e acusam o outro daquilo que eles mesmos são em primeiríssimo lugar. É a estratégia do Inimigo. Acusa o tempo todo. Mente. Não age com verdade, antes foge da luz verdadeira.

O mais trágico é que tais pessoas muitas vezes são cegas do tipo que não querem ver. São rebeldes à voz do Espírito e abrem-se facilmente à influência de certos “espíritos”. Andam de mãos dadas com a mentira, mas crêem estar de posse da mais pura verdade. Se tivessem um pouco de humildade seus olhos se abririam e eles conseguiriam enxergar sua ignorância.

É por isso que eu penso que a ignorância da própria ignorância anda de mãos dadas com o orgulho. A pessoa orgulhosa fica cega e burra, perde a luz do Espírito Santo. O orgulho é um vício terrível, pode fazer perder a alma, pois afasta a pessoa de Deus. Ao pensar nisso percebo como é urgente que todos nós busquemos ser humildes e reconheçamos a nossa própria ignorância!
vida

sexta-feira, março 12, 2010

Só os puros vêem Deus

4 comentários
Nossa Senhora, modelo de pureza, e os pequenos
pastores de Fátima, seus discípulos aplicados.


Ultimamente tenho pensado e me deparado muito com a questão da pureza. Precisamos ser puros, pois só os puros vêem Deus.

Todos os nossos atos devem ser realizados com vistas ao fim último da existência: Deus. Sendo assim, temos que pensar seriamente sobre o que estamos fazendo ou deixando de fazer em nossas vidas. Agora, na Quaresma, encontramos um momento muito propício para fazer tal exame.

Precisamos ser puros. Mas volta e meia me pego pensando que muito do que hoje nós vemos e ouvimos é contrário ao que precisamos para nos purificar ou para não nos manchar ainda mais. Por toda parte estão espalhadas imagens e palavras impuras, ofensivas e até mesmo blasfemas. Realmente é dificílimo evitar às vezes as impurezas que estão expostas nas ruas, as fotos obscenas e sensuais, as músicas (músicas?) com letras imorais, as piadas de mau gosto contadas por terceiros. Concordo que na rua, que fora de casa, é mais complicado mesmo evitar totalmente a impureza. Mas e em nosso lar? Como estamos lidando com isso?

Eu tenho buscado cada vez mais me afastar da audiência de certos programas e tenho feito o possível para ver filmes que não atentem contra a fé e a moral. Antes eu não conseguia entender o porquê de alguns católicos se afastarem de certos lugares, deixarem de ver certos programas e filmes. Eu pensava que eles estavam exagerando, que viam maldade onde não existia, ou que não havia nada de mais em ver ou ouvir coisas sensuais, não obscenas, mas aquelas imagens feitas para seduzir de forma baixa, mesmo que feitas com muita arte, requinte, mesmo que sem exageros, nada de pornográfico, não mesmo, apenas um tanto sexy. Hoje eu já começo a ver isso tudo de outra forma. Começo a perceber que há uma dignidade no ser humano que não permite que este seja visto como objeto, e o que estas imagens fazem é justamente isso: expõem o ser humano como objeto de consumo, e fácil.

Ao olhar para os nossos modelos maiores de perfeição – Jesus Cristo e a Virgem Maria – percebo não só o quanto estamos distantes de tal perfeição, mas também o quanto nos acomodamos ao que é puramente sensual pensando que somos humanos comuns e por isso não há problema algum em lidar com tais coisas. Mas vejo que quem quer se purificar realmente não pode continuar a compactuar com essa objetificação do ser humano que é promovida no mundo atual. Através de novelas, filmes, séries, publicidade, música, revistas, internet, por toda parte as pessoas estão se exibindo como mercadoria. Noto até mesmo nos nomes de certos estabelecimentos comerciais uma ode ao impudor, um gosto em se deleitar na lama da impureza como se isso nada mais fosse que valorizar a beleza num autêntico espírito Carpe Diem, bem ao gosto pagão. Diz-se que mostrar as formas de uma mulher (ou de um homem) é valorizar o belo. A Igreja diz que é profanar o que é sagrado, pois o corpo é templo do Espírito Santo e não deve ser tratado dessa forma impura como vemos hoje.

Mas você pode se perguntar: “e o que eu tenho a ver com isso? Que culpa eu tenho que essas modelos, atrizes e wannabes participantes de Reality Shows da vida querem se expor? Que culpa eu tenho se empresários dão nomes indecentes aos seus produtos e estabelecimentos?” Ora, se você não pode mudar a mentalidade deles, se está longe demais para convertê-los, o mínimo que deveria fazer é não compactuar com suas loucuras e nunca deixar seus olhos serem preenchidos com a devassidão e a desgraça que se projeta dessas imagens, desses produtos e desses lugares. Como querer se purificar chafurdando na lama? Como querer ficar frente a frente com o Pai Celestial e ao mesmo tempo ficar frente a frente com criaturas - se deleitando com suas baixezas - pelas quais deveríamos estar orando e gemendo para que a misericórdia divina caia sobre elas e não compactuando com sua exposição doentia? Porque perder tempo tão precioso maculando a alma ao se deixar envolver por artifícios baixos, por histórias torpes, por ofensas e mais ofensas a Deus? Por que compactuar com isso? Por quê?

O mundo chama e vai chamar o tempo todo. As pessoas vão falar, vão dizer que você é bitolado, extremista, fanático e até mesmo puritano apenas porque se recusa a se rebaixar entrando em lugares que ofendem a Deus, ou porque se recusa a ver certos programas e filmes ou porque já não sente mais prazer em dançar certas músicas ou usar certas roupas. Deixe que falem. O que importa o que os impuros dizem? Você deveria mesmo se importar com o que Deus pensa de você. O resto é resto.

Os liberais de plantão sempre vão apontar o dedo chamando-nos de bobos, de obtusos, etcétera e bota etcétera nisso! Vão dizer que as coisas mudam, que os tempos são outros, que não tem nada de mais, e por aí vai. Mas a verdade é que a moral católica não mudou e que a cabeça do ser humano também não. Continuamos feridos pelo pecado, continuamos fracos e dependentes da misericórdia divina. Mas temos que fazer a nossa parte. E se queremos ver Deus temos que nos purificar. Mas fica muito difícil fazer isso se continuarmos a compactuar com as impurezas várias que se apresentam no mundo.

Deus nos chama à santidade e ser santo é algo diametralmente oposto a compactuar com a imundície, por menor que seja. Está mais do que na hora de pensar seriamente nisso.

Nota: Quando menciono aqui o termo "sensual", estou falando de uma sensualidade forçada, não da sensualidade natural do ser humano, própria para a perpetualção da espécie. Estou falando do uso que se faz da sensualidade para vender os seres humanos como objetos sexuais.vida

quinta-feira, março 11, 2010

Uma corajosa declaração – Pe. Edson e a liberdade de expressão

3 comentários


Liberdade de expressão


Uma grande rede de televisão do Brasil tem mostrado uma série de propagandas com depoimentos de representantes de várias religiões criticando veladamente a Igreja Católica, por esta defender o direito ao ensino religioso nas escolas, por defender a vida (contra o aborto e a eutanásia), por defender o casamento monogâmico, indissolúvel e natural entre o homem e a mulher, por defender sua fé ao criticar livros ou filmes.

Em uma destas “propagandas”, sempre finalizada com “cidadania, a gente vê por aqui”, colocou um pai de santo defendendo a liberdade de expressão. Dizia ele que “todos têm liberdade de expressar seus pontos de vista e ninguém pode criticar”. Bom, nesta frase já há um cerceamento da liberdade de expressão: “ninguém pode criticar”.

Se todos têm direito de defender suas convicções, por que criticar de forma tão insistente á Igreja Católica? Não teria ela também liberdade de opinião? Não poderia ela também expressar-se livremente sobre suas convicções, baseadas na Lei Natural e no Evangelho? Não estaríamos vivendo uma eclesiofobia? Bom pensar nisso.

Interessante é que ao começar tal clip a emissora foca telas de internet com a Igreja expressando-se contra união civil de pessoas do mesmo sexo e uma tela com a Igreja manifestando desagrado com textos de um famoso escrito português. Todo mundo pode se expressar, menos a Igreja.

O Concílio Vaticano II, em vários textos, defende a liberdade de expressão, assim como a liberdade de consciência. Ninguém pode ser obrigado a abraçar esta ou aquela forma de pensar e de agir, nem tampouco a liberdade de expor aos outros seus pensamentos, a fim de ser melhor compreendidos e dar ao outro a oportunidade até mesmo de mudar de idéia. Porém alguns grupos em nosso país (e também pelo mundo todo) se acham no direito de empurrar suas opiniões pela nossa garganta abaixo e que não podemos esboçar qualquer reação. Isto fere a própria lei natural. Reclamam de discriminação, mas discriminam quem não concorda com sua posição.

Também faz parte da missão o diálogo: saber ouvir e saber falar. E, se preciso for (se estiver contra o Evangelho de Jesus, que é a única Verdade) mudar nossa opinião e nosso modo de agir, fazer uma verdadeira “metanóia”. Estejamos prontos para o diálogo. Saibamos compreender a voz da Igreja, até mesmo para saber perceber o que possa vir a destoar.



Pe. Edson Assunção

Secretário Nacional da Infância e Adolescência Missionárias

quarta-feira, março 10, 2010

Quem pensa estar de pé que não caia!

0 comentários

“Não digais que tendes almas puras se tendes olhos impuros,
porque os olhos impuros são mensageiros dum coração impuro”.
(Santo Agostinho)


Maravilhoso post do Everth, do blog Ecclesia Una, sobre a pureza:


Temos que meditar com seriedade sobre o que estamos fazendo de nossas vidas neste quesito. Só os puros verão a Deus!

O que estamos fazendo dos nossos olhos? O que estamos deixando entrar pelas janelas da alma? Como estamos com relação ao que vestimos, lemos, ouvimos e vemos?

Não podemos parar pensando que já está bom do jeito que está. Isso é mentira do Inimigo. “O demônio anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar” (1 Pd 5, 8).

Parem e pensem, meditem, busquem contemplar a pureza de Nossa Senhora, que preocupadíssima com o destino da humanidade apareceu em Fátima e declarou:

Virão umas modas que vão ofender muito a Nosso Senhor. As pessoas que servem a Deus não devem andar com a moda. A Igreja não tem modas. Nosso Senhor é sempre o mesmo. Os pecados do mundo são muito grandes (...) Mais almas vão para o inferno por causa dos pecados da carne, do que por qualquer outra razão.”

Meditemos nestas palavras. Se a Virgem Santíssima se dignou aparecer para nós e nos avisar sobre os perigos das modas indecentes será que não temos que parar para ouvir? Será que poderemos continuar satisfeitos com nosso modo de vestir, com as coisas que vemos e lemos achando que não há problemas?

Quem pensa estar de pé veja que não caia!

Tenhamos a humildade de baixar nossas cabeças e buscar ouvir o que Deus tem para nos dizer através de seus servos fiéis. Busquemos a pureza com urgência. Não sejamos como as virgesns loucas, busquemos desde já nos precaver. Fujamos das ocasiões de pecado, não demos trégua às impurezas.

“Não ameis o mundo nem as coisas do mundo. Se alguém ama o mundo, não está nele o amor do Pai”.
(1Jo 2,15)

Não é fácil, mas temos que tentar e Deus nos dará a graça se nós deixamos espaço para isso.



vida

terça-feira, março 09, 2010

Vídeo sobre modéstia na Missa

0 comentários
Vejam este vídeo (em inglês) sobre a modéstia na Missa:


É importante que busquemos nos vestir com mais cuidado quando tivermos que ir nos apresentar diante do Santíssimo. Afinal de contas, gastamos às vezes tanto tempo para nos arrumar para uma festa ou até mesmo para o trabalho e não deixamos nem um tempinho para nos cuidarmos melhor para ir à Igreja? Tem algo errado aí, não?

Então vamos aproveitar a Quaresma que é tempo de conversão para mudar nosso jeito de se apresentar em público, principalmente ao participar do Santo Sacrifício.

Boa Quaresma para todos!

segunda-feira, março 08, 2010

Amamos nossa própria vontade, mas temos que mudar

0 comentários


“Eu, deveras, quis que meu reino estivesse dentro do homem, e por direito, Eu deveria ser Rei e Senhor para ele, porque Eu o fiz e o redimi. Entretanto, agora ele quebrou e profanou a fé que me prometeu em seu batismo, e quebrou e desprezou minhas leis e meus mandamentos, que Eu prescrevi e revelei a ele. Ele ama sua própria vontade e se recusa a ouvir-me.” (Palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo à Santa Brígida)


Senhor, quantas vezes recusamos ouvir a Vós e damos preferência aos chamados do mundo? Quantas vezes desperdiçamos nosso tempo precioso vendo programas impuros, lendo futilidades, jogando conversa fora? Quantas vezes, Senhor?

Não consigo lembrar o quanto Vos ofendi com minha indiferença, mas sei que fui contra Vossos divinos mandamentos e depois de muito tempo caí em mim conseguindo perceber o buraco no qual estava afundada.

Antes eu pensava Senhor, que para sair daquele buraco eu podia criar asas e subir sozinha, mas na realidade tais asas - negras - cavavam o buraco mais fundo. Como eu sofria sem saber! Como eu dava nós de marinheiro em minha mente tentando a todo custo ser algo que não poderia ser nunca por minha própria conta. Como tentei me esconder de meus próprios pecados em vão, sem dar atenção ao teu perdão, esse bálsamo que cura as maiores feridas!

Mas acordei, Senhor. Senti em mim Vosso sopro santo me renovando e começando meu processo de conversão. De lá para cá caminho cada vez mais confiante em Vós, tropeçando vez ou outra, mas aprendendo e querendo Vos conhecer e amar.

Senhor, penso agora se estou fazendo ouvidos moucos ao teu chamado de conversão mais profunda. Fico cismando, pensando no que vivo agora, tentando descobrir se estou fazendo mal a mim mesma e se Vos ofendo de alguma maneira com meus hábitos, pensamentos, ações e palavras.

Devagar certas coisas vão ficando com que embaçadas, vão perdendo o seu brilho para mim. Já não consigo ver em certas coisas a graça que via antes, já não consigo ter o mesmo contentamento que tinha, porque hoje já vejo um pouco melhor. Mas fico cá me perguntando no que mais eu Vos dou desgosto. Não quero amar a minha própria vontade, Meu Deus, eu quero ter toda a disposição para Vos ouvir. Quero me libertar dessa escravidão do pecado, das sombras do meu amor-próprio, do visco de minhas vontades desregradas.

É difícil. O mundo tem seduções várias e às vezes são tão insidiosas que chegamos a confundi-las com brincadeiras inocentes, como se não tivesse nada de mais em perder tempo com tal ou qual atividade, sem ver que na realidade tais atividades podem nos perder. O que pode me perder, Senhor? Outro dia li que o Senhor disse a Santa Teresa que tudo o que não Vos agrada é mentira. Quero descobrir em quais mentiras eu vivo hoje, porque quero mesmo saber como Vos agradar. Eu sei que vai ser difícil, mas eu tenho que tentar.

Eu quero fazer a Vossa vontade, Senhor. Preciso focalizar meu coração nisso.
vida

sexta-feira, março 05, 2010

A pequenez e a soberba

0 comentários

Como somos pequenos! Quanto mais eu me aprofundo na fé, mais eu percebo minha pequenez, mais eu me dou conta de como é vasto o universo e do quanto sou distante de Deus.

Fico impressionada ao lembrar dos meus tempos de espiritualista e por notar nos que ainda estão neste (des)caminho o quanto de orgulho carregam dentro de si. Quanta ilusão ao pensar que podemos algo por nossa própria conta! Que sono de pesadelos pensar que podemos nos salvar sozinhos, sem a necessidade de Jesus Cristo para nos abrir passagem ao Céu com Seu Preciosíssimo Sangue! Que loucura, Meu Deus! Como temo por essas almas!

Como pode a criatura salvar a si mesma? Não percebem que estão agindo como o Barão de Munchausen tentando salvar a si mesmos do afogamento puxando seus próprios cabelos? Que loucura esta de pensar que somos criados de tal forma que podemos agir como Deus somente age.

Vou orando e chorando, pedindo ao Senhor misericórdia desses meus queridos que ainda se encontram mergulhados na ilusão da auto-suficiência, da soberba, que possuem em seus olhos as grossas escamas que não os deixam enxergar O Caminho, A Verdade e A Vida. Eles pensam que podem se igualar a Jesus Cristo, eles acreditam que podem salvar a si mesmos apenas cumprindo um número de “encarnações”, “resgatando carmas”. Quanta cegueira, Senhor!

Sem Ele somos nada mais que miséria. É simples assim. E reconhecer isso é libertador!

Meu Deus só a Ti devo dar Glória, de Ti eu dependo, porque se dependesse de mim estaria perdida há muito!

Ó criatura chora e geme pelos teus pecados e arrependa-se enquanto é tempo! Pensa seriamente na tua vida, faz um exame sincero de tua consciência, busque dar-se conta de que tu não tens força alguma que venha de ti. Alguém te deu o que possuis, não tiveste mérito por ter nascido em boa família ou por ser mais inteligente ou mais belo. Deus te deu isso tudo, de graça.

Oro mais ainda nesta Quaresma para que meus queridos se deixem tocar pelo Espírito Santo. Que acordem para a realidade, que reconheçam sua pequenez e que dêem graças ao Pai por dependerem Dele e não de si mesmos.

Uma Santa Quaresma a todos!
vida

quinta-feira, março 04, 2010

As crianças de Alagoinhas

2 comentários


Hoje completa 1 ano que foram abortados os gêmeos de Alagoinhas.


Que Deus tenha misericórdia dos envolvidos na morte desses dois inocentes.

quarta-feira, março 03, 2010

Viemos do pó e ao pó voltaremos

0 comentários

O tempo passa tão rápido. As coisas mudam de repente. O que hoje parece ser bom amanhã já não é mais. As nuvens no céu são às vezes mais duradouras do que certos momentos.

Com o que você tem gasto o seu tempo? Como tem passado suas horas? Já pensou que a morte pode chegar a qualquer momento? Já parou para pensar na morte?

Um dia cada um de nós terá de encarar esta realidade: o Anjo da Morte se apresentará. Infalivelmente. E neste momento aqueles que te amam, aqueles que te perturbam, os que te aplaudem e os que te xingam, nenhum deles estará lá para nada. Você estará só com Ele.

É saudável pensar na morte. É bom pensar no que estamos fazendo agora, no que estamos vivendo, no que estamos pensando, no que estamos deixando entrar nas nossas almas através do que vemos, ouvimos, lemos, falamos, dizemos... Tudo passa. Só Deus fica.

Todas as honras e desonras, glórias e fracassos, tudo passa. Pensemos nisso.

Viemos do pó e ao pó voltaremos. Meditar nesta verdade pode nos ajudar a sermos humildes e a valorizar o tempo que temos agora, não o desperdiçando com inutilidades e impurezas.
vida

terça-feira, março 02, 2010

Conta e Tempo

1 comentários
Deus pede estrita conta do meu tempo
E eu vou, do meu tempo, dar-lhe conta.
Mas, como dar, sem tempo, tanta conta.
Eu, que gastei, sem conta, tanto tempo?

Para dar minha conta feita a tempo,
O tempo me foi dado, e não fiz conta;
Não quis, sobrando tempo, fazer conta.
Hoje, quero acertar conta, e não há tempo.
Oh, vós, que tendes tempo sem ter conta,
Não gasteis vosso tempo em passatempo.
Cuidai, enquanto é tempo, em vossa conta!

Pois, aqueles que, sem conta, gastam tempo,
Quando o tempo chegar, de prestar conta
Chorarão, como eu, o não ter tempo..."

(Autor: Frei Antônio das Chagas, Séc. XVII)

segunda-feira, março 01, 2010

Oração a Maria Santíssima Para Guardar a Santa Pureza

2 comentários

1. Coração Puríssimo de Maria, por vosso amor e com vosso auxílio, estou resolvido a não consentir, neste dia, em nenhum pensamento impuro. Ajudai-me, Senhora, a afastá-los logo. Ave Maria.
2. Coração Puríssimo de Maria por vosso amor e com vosso auxílio, estou resolvido a não proferir, neste dia, palavra alguma indecente. Purificai, Senhora, a minha língua. Ave Maria.
3. Coração Puríssimo de Maria por vosso amor e com vosso auxílio, estou resolvido a guardar, neste dia, especial modéstia em todas as minhas ações. Ó Senhora minha! Ó minha Mãe! Impetrai-me a graça de sempre e em tudo dar gosto ao vosso Puríssimo Coração. Ave Maria.

Meu Jesus,
Fazei-me puro. Puro nos olhos, pensamentos e nas ações.
Fazei-me humilde, que eu sempre desconfie de mim mesmo e não me exponha ao perigo do pecado.
Fazei-me penitente, dai-me amor ao sofrimento; tanto sofrestes por mim, que quero sofrer por vós.
Fazei-me generoso, para que eu nada vos recuse e toda a minha seja vossa.
Fazei-me zeloso pela Glória de Deus e pela Salvação das almas
Meu Jesus, fazei-me obediente aos meus pais e superiores.
______________________________

Do Livro de Orações da Adm. Apostólica S. J. Maria Vianney, de Campos-RJ

Quem tem fé vê Deus em toda parte

5 comentários



Na Homilia da Missa de segunda-feira de carnaval, o padre da minha paróquia falou sobre as pessoas que tem fé e das que não têm fé. 

Quem não tem fé arruma desculpas para deixar tudo para amanhã, para deixar para depois a conversão, a busca de Deus. Sempre vê algo errado no que se diga a ele sobre a religião, sobre a palavra de Deus. Sempre busca os defeitos naquilo que ouve sobre o Evangelho, sobre as coisas mais altas e transcendentais.

O padre também disse que crer é uma escolha, aquele que escolhe crer tem a luz do Espírito Santo para o guiar e consegue enxergar Deus nas mais variadas situações, dando sempre graças a Ele por tudo.

Realmente eu vejo isso acontecer: há pessoas que só lembram de Deus quando estão passando por um sufoco muito grande mesmo, porque se estiverem bem, nem se dão o trabalho de buscar nada a respeito da religião. Há aquelas que somente sabem criticar os que buscam a vida espiritual e conseguem achar defeito até mesmo nas coisas mais santas. É tamanha cegueira que às vezes me assusto e temo por essas almas.

Muitas vezes eu só posso orar por gente assim, porque ao tentar mencionar Deus e a Igreja não sou lá muito bem recebida: ou agem com "cara de paisagem" ou têm ataques de fúria chegando até mesmo à blasfêmia. É triste, mas é assim. Claro que há aqueles que tem mais abertura para este tipo de assunto, mas em geral as pessoas estão muito centradas em si mesmas e em viver a vida de forma a serem "felizes". Mas o que elas não sabem é que felicidade verdadeira não se encontra neste mundo e que para ser feliz aqui - como se pode ser - somente tendo Cristo vivendo em si. De outra forma é impossível, é ilusão.

Quem tem fé consegue enxergar a mão de Deus nos momentos mais difíceis e sabe agradecer a Ele pelos momentos mais fáceis, vendo ali também a Sua Santíssima presença. Como não glorificá-lO? Como não buscar por Ele? Homem moderno, mulher moderna, será que você não vê que tudo o que você tem de bom vem Dele?
vida